quinta-feira, 11 de maio de 2006

A caixa...

Sabes quando corres muito, muito…e quando paras de correr mal consegues respirar? Estás ofegante, o ar não te chega, e não consegues falar....Sinto-me assim…não te consigo dizer….

É assim que estou, depois de me teres enviado uma encomenda, daquelas que vem pelo correio, que são entregues em mão, que nos obrigam a preparar as coisas, a delinear um plano para faze-la chegar ao destino, é certo que através de outras mãos em vez das nossas, mas de mão para mão, reais, pálpaveis….

Veio carregada de promessas, e desenhos de uma viagem com flocos de neve, feita num iô-Iô, por terras de longe que subitamente se tornaram tão perto, deixou um sabor doce na boca, e palavras guardadas nos segredos das noites …


....foi fácil tocar-me....não estás assim tão isolado
Obrigada de coração


Disseste:….

-Não exageres, não é nada de mais…
Mas é tanto…. [se tu sonhasses] ….

6 comentários:

Isolamentos disse...

...foi o pote de ouro no meio do arco íris...agora tens de procurar o do fim. foi um autentico salto mortal... :) *

holeart disse...

igualmente ... sem folego

mariadarosa disse...

Li como se da tal corrida se tratasse , cheguei ao fim quase sem folego.

Ai vizinha ... mesmo que não vejas o "mar" és capaz de "o" sentir dentro de ti.

:)))))

as velas ardem ate ao fim disse...

estou sem folego por kler algo tao belo

Vodka e Valium 10 disse...

«A box?
is it steel?
Are there locks?
Is it filled with a pox?
A pox
How delightful, a pox»

Eu sei que é uma maldade mas lembrei-me da letrad e uma as canções do 'Nightmare Before Christmas'

Luís disse...

Confesso que qd ouvi falar de encomenda pelo correio me lembrei logo de bacalhau à bráz...
:-)