terça-feira, 7 de março de 2006

Memórias do dia que não aconteceu….

Com o corpo dormente e o raciocínio completamente deturpado por sensações indescritivelmente intensas, fui entrando num íntimo onde só reconheci sons.
As minhas defesas deixaram de responder, e por um tempo e espaço indefinido, fiquei completamente exposta….toda a lógica ou razão me escaparam, o abandono total de mim….O corpo que se debatia, a lógica totalmente invertida, e o mesmo som.....novamente o mesmo som.... depois um silencio ascendente, finalmente o corpo em abandono, e a vontade de não reanimar........

7 comentários:

AMAFAS disse...

Isso não seria gripe?

Fëaraniâ disse...

Um relato de um dia que passa, num limbo de uma vivência não completamente vivida. Relato do tempo que passa, sem deixar marca.

kolm disse...

JOÃO PESTANA... que por vezes teima em aparecer quando menos queremos! :)

Isolamentos disse...

...irremediavelmente presos a vozes...* (quando não sabemos o que dizer...)*

Flor disse...

uma gripe a caminho??

Vá um chá quente e isso vai ir melhor :))

beijo meu

Luís disse...

n haja dúvida que em certas situações é coisa muito util as nossas defesas deixarem de ser eficazes...
Tou feliz por ti

Vodka e Valium 10 disse...

Há dias assim em que não cabemos dentro do nosso corpo; mas também há dias ao contrário, em que somos demasiado pequenos para caber dentro da nossa pele.

Ou dias em que simplesmente não queremos ser nós. Crise de identidade?