terça-feira, 22 de novembro de 2005

O Rapaz do trapézio voador morreu.

Depois de um período de tempo em que se viu forçado a treinar um número, sem rede que lhe exigia um esforço sobrenatural, o Rapaz do trapézio voador, no dia da estreia não resistiu e perante um público ávido de imagens e sensações especiais, cedeu.
Cansado de todo o esforço, de todo um sacrifício do seu coração demasiado puro, o Rapaz do trapézio voador, iniciou o seu espectáculo.
Nesse espectáculo maravilhosamente ensaiado, o rapaz do trapézio voador, dançava no ar num balanço quase convulsivo, a beleza dos seus movimentos eram indescritíveis. Então no auge do exercício, soltou um sorriso que iluminou, todo o circo.
A sua expressão era de uma imensa liberdade e no balanço que se seguiu soltou as mãos do trapézio, abriu os braços e deixou-se cair de costas, no chão de areia da arena do circo.

Ainda sorria.

6 comentários:

kolm disse...

Se enfrentar-mos os nossos medos com um simples sorriso nos lábios, tudo parecerá mais simples!!

A frase é muito linda... não é?!

Só não me estou a imaginar a fugir aterrorizada, numa noite de tempestade de um Freddy kruger qualquer, com um sorriso a Johnny Bravo...

Kiau Liang disse...

as vezes tens de te deixar cair.....

AMAFAS disse...

Ok, o moço morreu, mas aleijou-se ou foi só chapa?

Palavra disse...

..seja como for, se sorriu, estava feliz..

Desinformador disse...

o meu sorriso preferido é o do Joker (Jack Nicolson) no primeiro Batman, com Gotham City a seus pés e a dizer:
"Gotham City, always put a smile in my face!"

kolm disse...

Desinformador, o meu sorriso favorito é aquele com que tu vais ficar quando eu te vir.... ou seja sem dentes!!

Porque este cometário não é sobre os vários tipos de sorriso. É sobre o sorriso do trapezistas.

A secção dos vários sorriso já está mais para trás...

:)