sexta-feira, 25 de agosto de 2006

Mudanças....

Há um ano atrás, fiquei desolada quando me puxaram o tapete do chão, e me roubaram um projecto de vida.
Hoje, tudo mudou, a vida já nem sequer é a mesma, a casa já está mudada, tem menos uma parede, tem mais emoções, mais lágrimas perdidas dentro das fronhas das almofadas, e alguns sorrisos, meus e teus, que as gatas empurraram para debaixo da cama enquanto brincavam com eles...·


A casa era baixa, agora tem vista para o telhado, nas teias de aranha do sótão ficaram presos alguns sonhos. Alguns, ainda são puxados pela corrente de ar, através dos espaços entre as telhas, aqueles espaços que deixam passar pequenos bocados de sol...

Depois quis desistir de tudo, ao fim de seis meses de desilusão, tu agitaste o meu quarto, e o sonho da independência soltou-se da teia, e foi cair no meu nariz, enquanto dormia...(ainda não sei o que fazer com ele)

Mas voltámos ao mesmo, a porta da casa finalmente abriu, devia estar contente, se fosse há um ano estava aos pulos, mas as lutas fazem crescer.... e os pulos quando mal calculados, podem criar lesões irreparáveis na queda. Criei laços com a fragilidade que os destroços das obras inacabadas me deixaram, e calmamente recebo o primeiro sinal de um recomeço....um ano depois...

5 comentários:

Menina da Lua disse...

O importante é não perder a capacidade de acreditar!

Eu não disse que vinha mostrar a "casa" nova. Não repares mas as "mobílias" ainda não chegaram. Espero que não te importes de sentar no chão... Beijo maior! ;)

mariadarosa disse...

Tá cansadada senta
Se acredita tenta
Se tá frio esquenta
Se tá fora entra
Se sujou cai for a
Se dá pé namora
Tá doendo chora
Tá caindo escora
Não tá bom melhora
Se aperta grite
Se tá chato agite
Se não tem credite
Se foi falta apetite
Se não é limite
Se é do mato amanse
Trabalhou descanse
Se tem festa dance
Se tá longe alcance
Use sua chance
Se tá puto quebre
Tá feliz requebre
Se venceu celebre
Se tá velho alquebre
E corra atrás da lebre
Se perdeu procure
Se é seu segure
Se tá mal se cure
Se é verdade jure
Quer saber apure
Se sobrou congele
Se não vai cancele
Se é inocente apele
Escravo se rebele
Nunca se atrople
Se escreveu remeta
Engrossou se meta
Quer dever prometa
Pra moldar derreta
E não se submeta

LENINE

(é tudo o que me apetece dizer)

gnoveva disse...

.. vinha dizer qualquer coisa, mas li o poema da maria da rosa e esqueci-me. o poema é lindo e diz tudo. :D

Kiau Liang disse...

Menina da Lua: Eu importar de sentar no chão...cçaro que não..tb estou em obras não nesta mas na outra casa...:D

maria da rosa ®:....que queres que te diga...obrigada*

gnoveva:....Agora também me deixaste sem o que saber responder.....:) Tks

Monica disse...

And why do we fall?
So we can learn to pick ourselves up.

:)